quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

DEUS USA QUEM ELE QUER, DA MANEIRA QUE QUISER

Para o mineiro chileno, José Enríquez – o homem que Deus usou como guia espiritual para fortalecer os seus colegas mineiros -, disse que o momento mais glorioso que experimentou a 700 metros abaixo de profundidade na terra não foi saber que estavam todos vivos, nem quando foram resgatados, mas haver alcançado, dos 33 mineiros, 22, que aceitaram a Cristo como seu Salvador, segundo informa o jornal chileno Las Últimas Noticias.


Enríquez falou ao jornal que não tem pesadelos sobre os momentos que passou na mina durante 69 dias. Ele foi o primeiro a dar alta, rejeitou uma viagem grátis a Manchester para ver uma partida de futebol e também fez o mesmo ao não aceitar um convite para ir à Disney conhecer o Pato Donald, porque “não encontrava nenhum propósito naquilo”.

No entanto, para José Enríquez, ele encontrou o maior propósito naquela oração: “Ocorreu dois dias depois do resgate. Veio um pastor de Valparaíso e fizemos a oração de aceitação a Deus. Para mim isso foi superior a sobreviver. O problema é que parece que alguns se esquecem do fato. Mas não fizeram a promessa para mim, mas ao Senhor”, ressaltou Enríquez, o mineiro número 24 a ser resgatado e a chegar à superfície.

José Enríquez foi convidado para ir à Inglaterra e à Irlanda, para dar seu testemunho de Cristo, o tour inclui o privilégio de participar de um café da manhã de oração em Washington com o presidente Barack Obama.

“Isso sim tem sentido, só Cristo me interessa, nada mais. Quando me deram alta, encontrei uma simples burocracia, porque já estava de alta psicologicamente dentro da mina. Porque não acredito que uma pessoa ‘desregulada’ da cabeça tenha animado aos demais, não?”, concluiu Enríquez, que disse que o seu trabalho terminou com os mineiros e que agora têm que enfrentar o mundo sozinhos.

Fonte: Noticia Cristiana  e blog do Pr.Paulo Fabrício

sábado, 22 de janeiro de 2011

OUVINDO O CHAMADO DE DEUS

A  exatamente seis anos e dois meses atrás, pedi ao Senhor que me abrisse uma porta de emprego e ele pela sua infinita graça e misericórdia me concedeu o desejo do meu coração.
E eu estive ali por todo este tempo,porém por ser uma lanchonete e eu ser a proprietária tudo basicamente dependia de mim mesma,estando assim impedida de estar em minha congregação.
Quando minha irmã ficava em meu lugar eu ia, mas eram quase que raros estes momentos.
Desde a minha conversão a Cristo o Senhor tem usado seus vasos para falar comigo, que tem grande obra pra fazer em minha vida,porém devido a minha ocupação e falta de tempo e até mesmo um certo esforço a mais de minha parte,tudo vem sendo adiado.
No início o meu comércio era uma maravilha, as vendas iam de vento em polpa, porém desde o ano passado as coisas mudaram de uma tal maneira,o movimento caiu e começou a ficar difícil cumprir com todas as minhas obrigações, e um desanimo profundo tomou conta de mim.
Deus sempre falando comigo, pra que eu me coloque na posição e   eu sempre adiando, de repente eu entendi  que o tempo de Deus chegou , e a sua palavra fala que a porta que Deus abre o homem não fecha e que a porta que Deus fecha o homem não abre .
Desde então vinha contando os dias para fechar  comércio,e determinei o dia quatorze de janeiro de 2011,para o dia final.
Agora voltei pro meu lugar no círculo de oração e posso participar de todas as atividades da igreja, e eu estou muito feliz pois sei que estou na vontade de Deus e ele  suprirá todas as minhas nescessidades.
E eu farei a minha parte,consagrando a minha vida e esperando para que se cumpra tudo aquilo que DEUS tem pra minha vida nesta terra.
E também poderei estar ao lado de meu amado esposo Fernando e de meus filhos Fernanda e Gabriel, para juntos servirmos e adorarmos a Deus na beleza da sua santidade.